arquivo

Moda


A tecnologia abrange uma infinidade de ações e meios. Sendo assim, a moda também está inserida neste contexto e a utiliza para si. Blá, blá, blá… enfim galera! Rsrs, podemos perceber que a tecnologia também é moda. Desde tempos atrás que novos métodos, novas pesquisas e experiencias vem sendo desenvolvidos para facilitar e incrementar a moda e a comunicação das mesmas.

Tecidos mais leves, tecidos mais resistentes e até mais bonitos, por exemplo. Atualmente a tecnologia é observada em diversos aspectos como saltos de tamanhos antes impossíveis, roupas de led, camisas com proteção solar, óculos que fazem ligações telefônicas, tênis com amortecedores de atrito entre muitas outras coisas desenvolvidas para o bem estar e praticidade. Moda acima de tudo busca um conforto, um sentir bem para o individuo.

Além de todos tratamentos para corpo, pele, cabelo, cosméticos mil, maquiagens para rejuvenescência, sprays, esmaltes, tintas, bronzeamentos, alisamentos… ufa é uma lista que não acaba mais! São situações e produtos que estão a favor da pessoa, que melhoram a aparência, condicionamento físico…

Segundo Luis Tadeu Dix, na terminologia do Marketing: transformar Function em Fashion – Não é só na área esportiva. Relógios digitais incorporam funções que os analógicos não permitem. Acessórios como calçados, bolsas, jóias e bijuterias, estão ao alcance do grande público. Tudo isso incorporando o design, fato primordial para o aspecto moda.

“Moda é um estado de espírito individual que comunicamos para o ambiente em que vivemos, portanto, depende do lugar, da época e do próprio indivíduo.”


 A maior dificuldade das mulheres preguiçosas como eu na hora de fazer compras é experimentar a roupa. Ver se serve, se vai ficar tão bonito quanto está na manequim magérrima da vitrine, etc.

 A maior dificuldade dos consumidores virtuais na hora de comprar uma peça de roupa pela internet, é a hora de experimentar. Que dureza hein. Não tem como experimentar, e se o M estiver mais pra P do que pra M? E se a camiseta ficou parecendo uma camisola? Não dá pra devolver.

Pensando mais ou menos nisso, a agência Zugara – de Marketing e Publicidade Interativa de Los Angeles – criou um aplicativo muito chic meu amô. Uma mistura de Realidade Aumentada com Motion Capture – muito usado em filmes e games -. Assim surgiu o The Webcam Social Shopper.

 Esse aplicativo, com a ajuda de uma web cam, permite que você veja como aparentemente uma roupa fica em você. Você pode também mudar a cor da roupa, escolher os modelos, tirar foto com ela, sem precisar utilizar o mouse ou o teclado, pois faz tudo isso através de capturas de ações do próprio corpo. Colega, é super legal o negócio, você fica se sentindo a própria Patricinha de Beverly Hills, escolhendo a combinação que vai usar na night sem ter que vesti-la. Você já pode encontrar lojas virtuais famosas que disponibilizam esse aplicativo, é só dar um check no google.

Pantera Cor de Rosa

Por Cristiane Santos e Lorenza Fagundes
Texto: Adaptado por Lorenza e Cristiane
Fotografia: Lorenza
Diagramação: Lorenza e Cristiane

De um apelido despretensioso surgido nos anos 1990 ao ca­ráter de “insulto” que foi adquirindo com o passar do tem­po, o termo “Patricinha” é amplo em significados e, como categoria do senso comum, parece designar um “target” de consumo entre as adolescentes brasileiras.

No popular, “Patricinhas” são meninas ri­cas (ou nem tanto), com cabelos sempre escovados, roupas e acessórios da moda, que cultivam a boa aparência e a forma física, gostam de grifes, são esnobes, frescas, “caretas”, críticas, consumistas e fúteis.

Nessa fase liminar entre a infância e a vida adulta, se comportam e se vestem de for­ma a se sentirem inseridas em um grupo, a sua “tribo”, e a se distinguirem na cena social, adotando modas, modos e estilos de vida percebidos como distintivos.

Mulheres que se preocupam em manter uma aparência física impecável, dentro de um padrão de moda mais comportado. Portanto, não se espera que uma “patri­cinha” seja transgressora, use roupas ou acessórios que possam colocar em dú­vida o seu “bom gosto”. As “patricinhas”, na verdade, gostam de impressionar pela harmonia e perfeição dos elementos que compõem a sua aparência física mas sem chamar a atenção.

Read More

Olá pessoas rycas e chics! Rsrs…

Hoje vamos falar sobre um assunto inédito neste blog: MODA! Rsrs…

Primeiramente vejamos a definição do dicionário da língua portuguesa Michaelis:

moda
mo.da
sf (fr mode) 1 Uso corrente. 2 Forma atual do vestuário. 3Fantasia, gosto ou maneira como cada um faz as coisas. 4Cantiga, ária, modinha. 5 Estat O valor mais freqüente numa série de observações. 6 Sociol Variações contínuas de pouca duração que ocorrem na forma de certos elementos culturais (indumentária, habitação, fala, recreação etc.). sf pl Artigos de vestuário para senhoras e crianças. Antôn: antimoda.

Moda então, é um conjunto de ações, valores, formas e subjetividades para a criação de uma imagem (sim, gastei!). Somos moda em cada atitude que temos. Modo de ser, moda.

A internet é um espaço onde essa moda, se manifesta em caráter ampliado, aderindo a diversidade e a pluralidade do assunto em diversos meios. Sites, redes sociais, portais… tudo se cria e se discute moda.

O problema em questão é que com essa multiplicidade de informações, muitas pessoas se perdem e acabam perdendo sua identidade, ou forjando uma. É nessas horas que é necessário um auxilio, um consultor de moda, para orientar essa criação imagética.

Uma das mais famosas consultoras de moda, etiqueta e comportamentos do Brasil, é a finíssima Glória Kalil (chic é ser inteligente!).

Glorinha minha best é Jornalista (coitada), empresária e consultora de moda. Diretora de confecções como Fiorucci e Jeigikei.

Desde 1995 dedica-se à consultoria de estilo e negócios ligados ao campo da moda e do comportamento. Faz palestras e projetos especiais, como vídeos, planos de marketing para lojas de varejo e assessorias para indústrias e organizações institucionais como o Senac.

Colabora também com matérias de moda para a imprensa escrita, televisão e outras mídias.

Glorinha é um clichê de moda no meio da comunicação, em quase toda estação percebe-se sua influência na mídia.

Como sou uma pessoa muito chic, já li há alguns anos atrás um livro de sua autoria, chamado ” Chiquérrimo” e gostei muito. Atualmente Glorinha possui seu site e dentro do mesmo, links para seus blogs, que tratam de diversos assuntos, como moda, moda e moda. Rsrs…

Bom, o que interessa afinal? Dentro do site de Glorinha, há um espaço muito bacana para interagir com o os internautas: A REDE CHIC.

Para se cadastrar e fazer parte da rede, você pode usar sua conta do Twitter ou Facebook, basta clicar na rede desejada para fazer a conexão. Fiz o meu perfil para teste deste post e já recebi e interagi muito conteúdo bacana, inclusive compartilhei esse blog e esse post para o todos!

http://chic.ig.com.br/perfil/singuhlar

Quem se interessar dá uma passadinha lá, a rede chic é… muito chic! Rsrs…

“As tendências não esperam as suas estações. O que acontece são informações instantâneas e este é o papel da moda, trazer para hoje o que foi ontem.”